Aveiro / Braga / Guimarães / Porto

1º Dia Aveiro
Passeio de Barco com Onda Colossal O passeio de barco moliceiro proporcionado pela Onda Colossal tem uma duração média de 45 minutos e visita os seguintes canais urbanos da Ria de Aveiro:

  • Canal Central O emblemático canal em que vai conhecer as belas casas de arte nova e o centro histórico da cidade.
  • Canal da Pirâmides Poderá apreciar a paisagem verde do parque do Rossio e avistar as salinas aveirenses que dão forma e cor à paisagem.
  • Canal de São Roque Visita ao canal que ladeia o antigo bairro dos pescadores. Poderá apreciar as tradicionais casas ornamentadas com azulejos e os antigos palheiros de armazenamento de sal.
  • Canal do Cojo Ponto de partida e chegado do passeio de moliceiro da Onda Colossal. Poderá apreciar o edifício da Assembleia Municipal (antiga capitania), um edifício emblemático da cidade de Aveiro, assente na água. Apreciará também o centro comercial ao Ar livre, Forum Aveiro e a Cerâmica Campos. Antiga fábrica de cerâmica recuperada e convertida no actual centro cultural e de congressos de Aveiro.

Oficina do Doce Na oficina do doce terá a oportunidade de conhecer toda a envolvente histórica associada aos ovos moles e a tantos outros doces conventuais da região de Aveiro. Um espaço posicional didáctico, históricamente representativo, onde poderá ver ao vivo, com muita magia, a forma de fabrico mais tradicional de ovos moles. Os mais arrojados, esses, terão a oportunidade de experimentar a sua arte como doceiros, à moda antiga; procedendo o enchimento e corte daqueles doces com desenhos marítimos. Na sequência desta demosntração terá o prazer de provar estes deliciosos doces, ex-libris da nossa cidade

 
2º Dia Braga
Braga está situado no centro da região do Minho, faz parte da Costa Verde, da região norueste de Portugal. Realizou-se um walking tour no centro da cidade. O que acontece com a cidade de Braga é que praticamente todo o centro histórico é pedonal e as principais atracções a visitar (antigo Castelo e Torre de Menagem, Jardim de Sta. Bárbara, Rua do Souto, Largo do Paço, Sé, Arco da Porta Nova, entre outros), estão em zonas onde não é possível passar de autocarro.
A acrescentar a estes, visita ainda os Santuários que circundam a cidade: Bom Jesus do Monte, Sameiro e Santa Maria Madalena.
3º Dia Guimaraes
Guimarães, é muitas vezes designada como “Cidade Berço”, devido ao facto aí ter sido estabelecido o centro administrativo do Condado Portucalense por D. Henrique e por seu filho D. Afonso Henriques poder ter nascido nesta cidade e fundamentalmente pela importância histórica que a Batalha de São Mamede, travada na periferia da cidade em 24 de Junho de 1128, teve para a formação da nacionalidade.
 
4º Dia Porto
  • Biblioteca Lello & Irmão é uma biblioteca bastante histórica e artística da cidade do Porto. É considerada uma das bibliotecas mais bonitas do mundo. Aqui poderá ver a sua famosa escadaria, a arte da madeira e todos os livros que se encontram dentro deste edificio.
  • Catedral Sé encontra-se no Terreiro da Sé. É considerada um dos monumentos mais antigos desta cidade. A catedral é composta por duas torres onde se encontra um arco. Ao longo dos anos foram construidos vários tipos de arte, tal como no interior deste edificio. Como a catedral está situada no cimo , pode se obter uma vista sobre a aldeia histórica, Ribeira.
  • “ Casa da Música” O arquitecto Holandês Rem Koolhaas, criou este icone na cidade do Porto. A sua forma expressa algo futuristico, moderno, e acima de tudo localizado numa optima zona. Também dentro do edificio pode-se encontrar imensos detalhes.
  • Francesinha é um prato típico e originário da cidade do Porto, em Portugal.
    A francesinha é constituída por linguiça, salsicha fresca, fiambre, carnes frias e bife de carne de vaca ou, em alternativa, lombo de porco assado e fatiado, coberta com queijo (posteriormente derretido). É normalmente guarnecida com um molho à base de tomate, cerveja e piri-piri. Uma das teorias sobre a origem do prato remonta-o ao contexto da Guerra Peninsular, afirmando que as tropas napoleónicas costumavam comer umas sandes de pão de forma, onde colocavam toda a espécie de carnes e muito queijo. À época, no entretanto, não incluía um complemento que os portuenses passaram acrescentar – o molho.Actualmente parece haver alguma unanimidade em atribuir os créditos da criação do prato a Daniel David Silva, empregado do Restaurante A Regaleira na década de 1950. Tendo trabalhado em França, ao retornar a Portugal Daniel Silva criou a francesinha com base na tosta francesa, o “croque-monsieur”, e daí o nome.
  • A Estação Ferroviária de Porto – São Bento , igualmente denominada de Estação de São Bento, e originalmente como Estação Central do Porto, é uma interface de caminhos de ferro, que serve a cidade do Porto, em Portugal embora tenha entrado ao serviço no dia 7 de Novembro de 1896, só em 5 de Outubro de 1916 é que se deu a inauguração oficial. Está situada na Praça de Almeida Garrett, na cidade do Porto, tendo o edifício da Estação, de influência francesa, sido delineado pelo arquitecto portuense José Marques da Silva.
  • Vinho do Porto é um vinho natural e fortificado, produzido exclusivamente a partir de uvas tintas provenientes da Região Demarcada do Douro, no Norte de Portugal a cerca de 100 km a leste da cidade do Porto. Régua e Pinhão são os principais centros de produção, mas algumas das melhores vinhas ficam na zona mais a leste. Apesar de produzida com uvas do Douro e armazenada nas caves de Vila Nova de Gaia, esta bebida alcoólica ficou conhecida como “vinho do Porto” a partir da segunda metade do século XVII por ser exportada para todo o mundo a partir desta cidade. Vila Nova de Gaia é o local com maior concentração de álcool por metro quadrado do mundo. A “descoberta” do vinho do Porto é polémica. Uma das versões, defendida pelos produtores da Inglaterra, refere que a origem data do século XVII, quando os mercadores britânicos adicionaram brandy ao vinho da região do Douro para evitar que ele azedasse. Mas o processo que caracteriza a obtenção do precioso néctar era já conhecido bem antes do início do comércio com os ingleses. Já na época dos Descobrimentos o vinho era armazenado desta forma para se conservar um máximo de tempo durante as viagens. A diferença fundamental reside na zona de produção e nas castas utilizadas, hoje protegidas. A empresa Croft foi das primeiras a exportar vinho do Porto, seguida por outras empresas inglesas e escocesas.
  • O Mercado do Bolhão é um dos mercados mais emblemáticos da cidade do Porto, em Portugal.A sua construção caracteriza-se pela sua monumentalidade, própria da arquitectura neoclássica. Os vendedores no mercado distribuem-se por dois pisos. Existem quatro entradas principais a diferentes cotas: a entrada sul dá acesso ao piso térreo é feito pela Rua Formosa, as entradas laterais pela Rua de Sá da Bandeira e pela Rua Alexandre Braga dão acesso a um patamar intermédio com escadarias que ligam ambos os pisos, e finalmente, a entrada norte pela Rua de Fernandes Tomás, que dá acesso directo ao piso superior. O Mercado do Bolhão é vocacionado sobretudo para produtos frescos, sobretudo alimentares. Os vendedores estão divididos em diferentes secções especializadas, designadamente: zona de peixarias, talhos, hortícolas e florais. Na parte exterior do edifício existem lojas de outras variedades, como vestuário, cafetaria, perfumarias, tecidos, etc.